Blog dos Sentidos

Bem viver Dicas Pluii

Menstruação: interromper o ciclo ou não?

Você sabe que hoje, graças a evolução da medicina, as mulheres podem recorrer a diferentes métodos para interromper o ciclo menstrual. Muito se discute sobre isso, afinal é um tema que gera polêmica até mesmo entre os médicos – quanto mais nas pacientes.

Mas e aí, fazer ou não fazer? Muita mulher tem vontade, porque sofre com TPMs e cólicas mensalmente. Mas, é natural que tenham receio, pois ficam com medo de parar um ciclo natural do corpo humano e vir a ter problemas futuros, como a infertilidade.

UMA DECISÃO CAUTELOSA
Inicialmente, a primeira pergunta que se deve fazer é: ‘qual o motivo para interromper minha menstruação?’ Todas concordam que menstruar mensalmente não é a coisa mais agradável do mundo. No entanto, interromper esse ciclo não é brincadeira. Se feito sem necessidade ou sem acompanhamento, pode gerar diversos problemas.

“Para cada paciente há um método mais eficaz. Tudo em medicina é uma questão de risco X beneficio, e isso só o seu médico poderá avaliar. Aquilo que serve pra você, pode não servir para outra e, pior ainda, às vezes causar um dano desnecessário”, explica o Dr. Gilberto Nagahama, Ginecologista do Hospital San Paolo.

PRINCIPAIS MOTIVOS
Livrar-se da famosa tensão pré-menstrual (TPM) é um dos principais motivos que levam as mulheres a pensarem em interromper o fluxo. “De fato, a grande maioria dos métodos que inibem a menstruação pode acabar com a TPM pelos menos temporariamente. Já a TPM grave, por exemplo, aquela que mulheres ficam impossibilitadas de praticar sua rotina, precisa de um cuidado, às vezes, associado com outros métodos”.

No entanto, Dr. Gilberto reforça que, quando bem indicada, a inibição da menstruação trará os benefícios que o paciente deseja. “Mulheres com anemias graves devido a fluxos menstruais excessivos, com certeza se beneficiarão com o bloqueio destes fluxos anormais”.

INFERTILIDADE
“Estes métodos anticoncepcionais hormonais são reversíveis. Uma vez que a medicação está parada, o corpo volta a sua função normal, por isso, não existe risco para a fertilidade”, afirma Dr. Gilberto. A confusão de associar esse tratamento a infertilidade acontece, pois muitas mulheres começam a tomar anticoncepcional sem necessariamente saber se realmente são férteis. “A paciente toma por anos o remédio e um dia resolve engravidar, não conseguindo, atribui ao uso prolongado do medicamento, mas na verdade não sabia se mesmo sem o uso dele poderia realmente engravidar”. Então, se a indicação para o seu caso for a interrupção do ciclo menstrual, não se preocupe. Seu médio saberá qual o melhor método pra você.

ALGUNS MÉTODOS
- Ingestão ininterrupta de anticoncepcionais
- Injeções hormonais
- DIU (dispositivo intrauterino) de levonorgestrel, conhecido como Mirena
- Implantes subdérmicos

ABRA A CABEÇA!
O bloqueio da menstruação não é um aprisionamento do sangue menstrual dentro do útero. Fique tranquilo caso seu médico indique esse tratamento para você. Na verdade, segundo Dr. Gilberto, é uma “eliminação” na camada interna do útero chamada endométrio, que é responsável pela menstruação. “Assim, todos os processos que são estimulados com o ciclo hormonal natural podem ser beneficiados com a sua inibição, como a endometriose, miomas e cistos ovarianos”. Lembrando que isso sempre deve ter o parecer do seu médico ginecologista, pois tais tratamentos devem ser acompanhamento para avaliar melhor a sua eficácia.

Escrito por Fabi Favero

Comentários

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *